Copyright © 2016 Escola de Inovação. Todos os direitos reservados.

Porto Alegre/RS

  • Sérgio Gualdi Ferreira da Silva Filho

Mais um dilema da inovação


A inovação representa, ao mesmo tempo, sobrevivência e diferenciação. Não é à toa que muitos empreendedores consideram a inovação como função principal nos seus negócios. De fato, inovação é prioridade para muitas empresas! Em tempos de extrema concorrência, existem forças que impulsionam constantemente a busca por inovações: a globalização, a concorrência e os clientes que formam um triângulo altamente volátil que direciona a inovação. Muitas empresas são obrigadas a fazer algo diferente para continuar a caminhada, enquanto outras implementam periodicamente novas ideias com a esperança de obter certa vantagem competitiva.

Qual a diferença? Por que a inovação representa coisas diferentes para empresas diferentes? Mas, afinal, o que é inovação, mesmo?

Inovação é a exploração bem sucedida de novas oportunidades! Podemos classificar a inovação, de acordo com sua intensidade, em incremental ou radical. O Radar da Inovação, ferramenta desenvolvida pelo professor Mohanbir Sawhney, da Kellog Scholl, apresenta 12 áreas nas quais qualquer empresa pode inovar, na intensidade que desejar.

A inovação incremental representa aperfeiçoamentos na forma como a empresa já trabalha, seja em seus produtos, processos, modelo de negócio ou demais esferas organizacionais. Um exemplo de inovação incremental é a adição de novas funcionalidades ao smartphone, contanto que essas funcionalidades sejam novidade para o mercado, é claro.

A inovação radical ocorre quando a empresa modifica de forma substancial a sua forma de trabalho, seja ela relacionada a produtos, processos, forma de captura de valor, criação de novas experiências ao seu consumidor. Esse tipo de inovação está atrelado à criação de algo totalmente diferente e fora do padrão vigente, podendo, inclusive, atender a necessidades até então desconhecidas. Como exemplo de inovação radical, temos o pen drive, uma tecnologia que substituiu o antigo disquete e outras formas de armazenamento, como o CD, e promoveu uma revolução neste mercado.

As organizações que apenas buscam inovações incrementais são aquelas que permanecerão lutando por sobrevivência. Sobreviver é preciso e, com sorte, na caçada por inovações incrementais, pode surgir algo radical como o resultado da soma destas inúmeras inovações de menor intensidade. Agora, aquelas empresas que perseguem algo que vá revolucionar o seu mercado, como a Apple fez com o Iphone, que simplesmente transformou os mercados da telefonia móvel e da telecomunicação, provavelmente serão mais bem sucedidas e estarão à frente da concorrência, construindo as novas regras do mercado.

Não estou dizendo que você precisa focar apenas em inovações radicais, mas sim para não esquecer dela. A estratégia de inovação deve contemplar inovações incrementais e radicais. A inovação precisa ser a religião da qual todos os colaboradores são devotos. A inovação depende de todos. Não fique esperando a grande ideia que mudará sua realidade, mas desenvolva a pequena ideia de cada dia. Inovação é tentativa! Se não tentar não vai inovar.

Até a próxima reflexão inovadora!

#intensidadesdainovação #tiposdeinovação #estratégia #radardainovação

0 visualização